Notícias


SERJAL realiza levantamento sobre a situação do estacionamento no Fórum da capital

Uma das queixas mais recorrentes dos servidores do Judiciário alagoano, sobretudo os que trabalham no Fórum do Barro Duro, é relacionada à indisponibilidade de local para estacionar no horário de expediente. Buscando uma solução, a partir de um quadro bem realista da situação, o SERJAL está realizando um levantamento com os seus filiados, para mostrar essa dificuldade e buscar, junto ao Judiciário, os meios viáveis para resolver a questão.
O servidor só precisa preencher questionário informando onde está lotado, o horário de trabalho e o tipo de automóvel utilizado para ir ao trabalho. Com isso, o SERJAL vai saber qual a real carência e onde ela é mais crítica.
No Fórum do Barro Duro funcionam 39 Varas e cerca de 10 setores adjacentes, entre eles a Defensoria Pública, e a falta de vagas para estacionar é um problema grave que tem gerado sérios transtornos, principalmente para quem precisa estar no trabalho todos os dias. No local, circulam, diariamente, cerca de duas mil pessoas, entre magistrados, servidores e jurisdicionados, mas conta com apenas 160 vagas de estacionamento, contando com espaços externos. 
Só de servidores, calculam-se mais de 300 veículos, sem contar o fluxo diário de visitantes (jurisdicionados, viaturas, imprensa), que supera a média de 1.500 pessoas por dia, segundo destacou a diretoria do Fórum, em reunião com o SERJAL, no começo do ano. E depois de preenchidas as poucas vagas, ninguém mais consegue estacionar, nem mesmo no entorno do prédio e nas ruas adjacentes.
Esse levantamento é a terceira ação do Sindicato, só este ano, na atual gestão, tratando especificamente dessa situação. Em abril, o presidente Aluciano Martins se reuniu com o diretor superintendente do Fórum, juiz Emanuel Dória, em busca de soluções viáveis para o problema, reconhecido pelo magistrado.
Em maio, a diretoria do SERJAL, representada pelo presidente e pelo diretor de Formação e Organização Político-Sindical, Cleyson Francisco, reuniu-se com a diretoria da Associação Alagoana de Magistrados, Almagis, para somar esforços na busca de uma solução, já que o problema de falta de local para estacionar afeta a todos que atuam na maioria das unidades judiciárias, inclusive os juízes.
“É muito importante que todos os que vivem esse problema no cotidiano respondam a essa pesquisa do SERJAL”, destaca o diretor Cleyson Francisco.

Link para o levantamento: https://goo.gl/forms/QuRth6LhuNXqrDOl1